"A primeira necessidade são oito ventiladores. Os oito ventiladores já estão encomendados, já saíram de Espanha, contamos recebê-los na próxima semana e serão distribuídos conforme as necessidades dos três hospitais", avançou à agência Lusa um dos organizadores do movimento, João Almeida.

A encomenda dos ventiladores foi assegurada pela empresa Farmaçor, mas João Almeida frisou que os equipamentos "ainda não estão completamente pagos", pelo que o movimento vai contactar várias entidades face ao momento de "urgência".

"Queremos divulgar o projeto, vamos contactar as empresas, vamos contactar a diáspora, vamos fazer contactos diretos com empresários, vamos a todo o lado. O momento é de urgência", destacou.

A aquisição dos ventiladores insere-se na primeira fase das iniciativas do movimento, que irá também recolher fundos para a compra de outros equipamentos hospitalares.

"Após esta primeira fase, nós já temos a listagem oficial das necessidades emergentes das unidades de saúde e dos três hospitais, bem como do Serviço Regional de Proteção Civil, tanto material hospitalar - como monitores de sinais vitais - como de proteção individual", assinalou.

O movimento encontra-se em "contacto direto" com a Secretaria Regional da Saúde e criou uma "rede de contactos" com vários profissionais de saúde para "validar" os materiais que pretendem adquirir.

O "Todos pelos Açores" é liderado por João Almeida, André Delmar e Duarte Viveiros, este último médico no Hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada.

"Este movimento nasceu do Duarte Viveiros, médico no Hospital Divino Espírito Santo, tendo em conta a perceção no local das necessidades reais do Serviço Regional de Saúde e a preocupação, tanto com a população como pelos profissionais de saúde, devido ao que aí vêm", frisou João Almeida.

Qualquer pessoa pode participar na angariação de fundos através da página gofundme.com/f/ventiladores-para-os-acores.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 176 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália, com 2.978 mortes em 35.713 casos, a Espanha, com 767 mortes (17.147 casos) e a França com 264 mortes (9.134 casos).

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. O número de mortos no país subiu para três.

A Autoridade de Saúde dos Açores informou hoje que existe um caso positivo de Covid-19 na ilha do Faial, o terceiro registado na região, depois de um caso na ilha Terceira e outro na ilha de São Jorge.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.