Durante o estado de emergência, a Nestlé Portugal, que tem quase 2.300 trabalhadores, manteve a produção de alimentos e bebidas nas suas fábricas e colocou em teletrabalho os cerca de 1.400 trabalhadores da sede e das áreas administrativas.

De acordo com um comunicado da empresa, os 800 trabalhadores que asseguraram a laboração vão continuar, “com todas as medidas de segurança reforçadas pelas contingências da pandemia, a trabalhar na fábrica de cafés torrados do Porto, na fábrica multiprodutos e no principal centro de distribuição da Nestlé no país, ambos localizados em Avanca”.

A estes juntam-se agora cerca de 100 trabalhadores da área de vendas, que estão a retomar o contacto com os clientes do retalho alimentar.

Apesar de a regra continuar a ser a de teletrabalho, uma opção que já estava disponível na empresa mesmo antes do surgimento da pandemia de Covid-19, os funcionários que necessitarem de se deslocar ao seu local de trabalho, na sede ou noutra estrutura da empresa em Portugal, terão de observar regras muito específicas, definidas para acautelar a sua segurança e a dos seus colegas.

Durante o estado de emergência, a Nestlé adotou várias medidas de apoio financeiro aos seus trabalhadores e atribuiu um prémio extraordinário de 20% aos que se mantiveram em funções.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.