"Infelizmente há 14 utentes hospitalizados e 15 utentes que faleceram", disse à Lusa Maria dos Anjos Esperança, tendo feito notar que a situação "preocupa" neste lar situado em Minde, no distrito de Santarém, e que o mesmo "tem estado muito bem acompanhado diariamente com reforços de recursos humanos e em termos de análises de risco", entre outros cuidados.

A delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo disse ainda que todos os utentes e funcionários vão ser testados novamente esta semana, tendo afirmado "esperar que já haja mais pessoas recuperadas" deste surto, identificado no dia 7 de novembro.

O lar dispõe de dois edifícios, um mais antigo, de rés-do-chão, e outro, com três pisos, tendo o surto alastrado aos dois espaços, disse, por sua vez, a presidente da Câmara de Alcanena, Fernanda Asseiceira (PS), sublinhando as "excelentes condições" existentes nesta instituição.

Notando tratar-se de uma "instituição de grande dimensão, que tem dois edifícios", a autarca explicou que na prática "é como se houvesse dois surtos". Porém, como os imóveis integram a mesma instituição, considera-se que existe um.

Sublinhando que o concelho se encontra entre os classificados como de risco extremamente elevado, devido ao número de infetados no lar de Minde, Fernanda Asseiceira disse esperar que a testagem generalizada na quarta-feira, dia 02 de dezembro, a todos os utentes e funcionários do lar venha a permitir "contabilizar todos como recuperados" ou "pelo menos já um elevado número de recuperados".

A autarca lamentou o número de mortes registadas até ao momento, manifestando a sua solidariedade para com as famílias, a instituição e os funcionários, e apelando a todos os munícipes para que cumpram estritamente as recomendações da Direção-Geral da Saúde.

O surto foi identificado no dia 07 de novembro depois de uma idosa ter sido submetida ao teste ao SARS-CoV-2 quando foi internada no Centro Hospitalar do Médio Tejo.

Nos testes realizados em 20 de novembro, registou-se um total de 158 infetados (111 utentes e 47 trabalhadores), havendo na altura dois mortos e apenas 12 utentes apresentaram resultado negativo no teste, mantendo-se isolados dos restantes.

Desde o dia 20 de novembro e até hoje ocorreram mais 13 óbitos, o último das quais nas últimas 24 horas.

Segundo os dados divulgados hoje pelo Agrupamento de Centros de Saúde do Médio Tejo, o concelho de Alcanena tem 297 casos ativos de covid-19 e 143 recuperados.

Desde o início da pandemia, o país já registou 4.577 mortes, registando 300.462 infeções pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 75.008 casos, menos 5.606 do que na segunda-feira.

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 08 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana e feriados, nos territórios mais afetados, a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.