Pontos essenciais da conferência de imprensa

  • Marta Temido, ministra da Saúde, precisou a repartição de novos casos ao dia de hoje. Os casos do Norte estão maioritariamente associados ao lar em Cinfães; no Alentejo estão associados à situação em Reguengos de Monsaraz, existindo também pequenos focos em Grândola, Évora e Campo Maior. No Algarve, as infeções estão ligadas à situação de Odiáxere, havendo ainda pequenos focos em Cabanas de Tavira e Albufeira. Na região de Lisboa e Vale do Tejo, a maioria dos casos situa-se na Área Metropolitana de Lisboa.
  • A média do Rt (risco de transmissão) para os dias 19 a 23 de junho é de 1,06. "Isto não nos deve surpreender", frisou.
  • Sobre as decisões do Conselho de Ministros, a ministra da Saúde lembrou que às regras de higiene e etiqueta respiratória é necessário aliar "outras medidas de saúde pública", tendo por isso sido aplicadas várias regras.
  • Marta Temido recordou que "a covid-19 só desaparecerá das nossas vidas quando surgir uma vacina ou um tratamento eficaz" e que o facto de agora Portugal registar números mais altos requer o "esforço articulado" ao nível das diferentes áreas. "É um trabalho de paciência, que ninguém se iluda, e de elevada responsabilidade que teremos de continuar a fazer".
  • A ministra da Saúde admitiu que Portugal não está a conseguir interromper cadeias de transmissão do novo coronavírus, frisando que isso não pode levar a desistir de o tentar.
  • Ter contacto físico, estar em espaços fechados e espaços muito frequentados é arriscado. "As medidas base não podem ser descuradas", lembrou.
  • Dos ventiladores encomendados, a maioria já foi entregue. Nos últimos voos chegaram 560 ventiladores ao país, que vão sendo testados e distribuídos pelos hospitais. No total, já foram fretados 14 voos que trouxeram para Portugal 952 equipamentos, entre compras e doações.
  • Marta Temido afirmou que a rede do Serviço Nacional de Saúde tem capacidade para garantir o que dela se precisar, mas isso não pode, nem deve, fazer "baixar a guarda".
  • Sobre a utilização do Remdesivir no combate à covid-19, Marta Temido referiu que há "a expetativa de que a Comissão Europeia emita a autorização para este medicamento no decurso da próxima semana", sendo que o Infarmed tem assegurando "um programa de utilização precoce" para que seja já utilizado no país nos casos necessários.
  • Graça Freitas, Diretora-geral da Saúde, referiu que este programa foi ativado para doentes graves, nomeadamente na área pediátrica. A utilização do medicamento "correu de facto bem", frisou.
  • Quanto às medidas de controlo no transporte aéreo, foi referido que os cartões do passageiro foram distribuídos nos vários aeroportos e aeródromos do país. Estes são preenchidos e está previsto que as companhias os recolham e entreguem, num envelope fechado, ao diretor do aeroporto, ficando ao dispor das autoridades de saúde.
  • Vai estar em breve disponível para "utilização a título experimental" a aplicação que tem sido desenvolvida pelo INESC TEC, para rastrear os contactos com covid-19. A utilização não será obrigatória.
  • A DGS emitiu já as regras e os pareceres para as touradas. A sua aplicação depende do ministério que regula a atividade, referiu Graça Freitas.

  • Marta Temido lembrou que a situação epidemiológica do país ainda não permite a retoma total da normalidade nos jogos de futebol. Contudo, a situação está controlada e as regras podem ser alteradas a qualquer momento.
  • A ministra referiu que é "importante que as pessoas retomem a sua atividade assistencial" e que "utilizem os serviços de saúde com tranquilidade". Sobre o IPO de Lisboa, a ministra confirmou que há casos de utentes que originaram casos positivos de covid-19 na região do Algarve (seis casos em Monchique).
  • Sobre a possibilidade de testes nos aeroportos, Marta Temido referiu que estão a acompanhar a atuação nos outros países. Para já, existe apenas o controlo da temperatura e os cartões do passageiro. A ministra da Saúde pediu ainda que quem apresenta sintomas não viaje.

O boletim

Os dados da DGS indicam 1.555 mortes relacionadas com a covid-19 e 40.866 casos confirmados desde o início da pandemia.

Em comparação com os dados de quinta-feira, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,4%. Já os casos de infeção subiram 1,1%.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, a pandemia de covid-19 atingiu os 18.106 casos confirmados, mais 339 do que na quinta-feira, o que corresponde a 75,2% dos novos contágios.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a que tem maior número de infeções (18.106) e a segunda com maior número de óbitos (457).

O Norte regista 17.441 infeções e 816 mortos, o Centro 4.056 casos confirmados e 248 óbitos, o Algarve 15 mortos e 574 pessoas infetadas e o Alentejo regista quatro mortos e 449 pessoas com covid-19.

Os Açores apresentam 148 casos de infeção pelo novo coronavírus SARA-Cov-2 e 15 mortes, enquanto a Madeira tem 92 pessoas infetadas e mantém-se sem qualquer óbito registado.

Do total de pessoas infetadas em Portugal, 457 estão internadas, mais 21 do que na quinta-feira (+4,8%). O número de doentes internados em unidades de cuidados intensivos mantem-se nos 67.

Na distribuição dos casos infetados por concelhos, Lisboa é o que regista o maior número de casos (3.335), seguido por Sintra (2.477), Loures (1.745), Vila Nova de Gaia (1.633), Amadora (1.591), Porto (1.414), Matosinhos (1.292), Braga (1.256), Odivelas (1054) e Maia (950).

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas até hoje, 780 são mulheres e 775 homens.

Por faixa etária, o maior número de mortes regista-se entre as pessoas com 80 ou mais anos (1.042), seguida pela faixa entre os 70 e os 79 anos (299). Entre a população com idades compreendidas entre os 60 e 69 anos há 143 mortes.

Os dados da DGS registam ainda 49 mortes na faixa etária entre os 50 e os 59 anos, 18 entre os 40 e os 49 anos, duas entre os 30 e os 39 anos e duas na faixa etária dos 20 aos 29 anos.

Covid-19 em Portugal

Quem suspeitar estar infetado ou tiver sintomas - que incluem febre, dores no corpo e cansaço - deve contactar a linha SNS24 através do número 808 24 24 24 para ser direcionado pelos profissionais de saúde. Não se dirija aos serviços de urgência, pede a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS e o Governo criou para o efeito vários sites onde concentra toda a informação atualizada e onde pode acompanhar a evolução da infeção em Portugal e no mundo. Pode ainda consultar as medidas de segurança recomendadas e esclarecer dúvidas sobre a doença.

O Governo também lançou um site que funciona como um guia prático para apoiar cidadãos, famílias e empresas no combate aos efeitos causados pela pandemia.

Poderá ainda acompanhar a cobertura da covid-19 no Especial Coronavírus do SAPO24.

Relativamente ao total de casos de infeção, os dados apontam que 22.948 são mulheres e 17.918 homens.

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (6.821), seguida da faixa entre os 30 e os 39 anos (6.481) e das pessoas com idades compreendidas entre os 50 e os 59 anos (6.471).

Nas faixas etárias mais jovens, entre os 20 e os 29 anos, registam-se 5.911 casos e, entre os 10 e os 19 anos, 1.635, enquanto nas crianças até aos nove anos há 1.146 casos

Segundo a DGS, 37% dos doentes apresentaram tosse, 28% febre, 21% dores musculares, 20% cefaleia, 15% fraqueza generalizada e 10% dificuldade respiratória.

A aguardar resultado laboratorial de testes estão 1.561 pessoas e em vigilância pelas autoridades de saúde estão 31.246.

Desde o dia 01 de janeiro, Portugal registou 373.293 casos suspeitos, refere o boletim, adiantando que há 26.633 pessoas dadas como recuperadas, mais 251 do que na quarta-feira.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 487 mil mortos e infetou mais de 9,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.