Em declarações à agência Lusa, Augusto Parente explicou que "foram testados todos os funcionários ligados à sala onde foi detetado o caso do menino de 17 meses, sendo que todos os resultados foram negativos".

O responsável apontou a reabertura da sala de creche para o dia 21, admitindo que aquele prazo carece de confirmação da delegação de saúde de Viana do Castelo.

"Testámos todos os funcionários e os resultados vieram negativos. Da parte das crianças, até ao momento, não temos informação de mais nenhum caso. Estamos a contar poder reabrir a sala no dia 21", especificou Augusto Parente.

A instituição tem um bloco para a creche, dotado de quatro salas, e o caso detetado na segunda-feira implicou o encerramento de apenas uma sala, frequentada por 14 bebés, que "estão em casa", à semelhança de seis funcionários que lidaram diretamente com a criança infetada.

Na segunda-feira, Augusto Parente salientou à Lusa que "o caso de covid-19 não foi detetado na instituição, porque a criança deixou de frequentar a creche na última terça-feira".

"Na quarta-feira passada os pais informaram-nos de que o menino não iria à creche naquele dia porque ia apanhar uma vacina, mas não apareceu nos dias seguintes. No domingo, cerca das 22:00, fomos informados pela delegação de saúde que a criança tinha feito teste à covid-19, que deu resultado positivo, tendo sido iniciados todos os procedimentos determinados pela Direção-Geral da Saúde (DGS)", referiu.

Segundo Augusto Parente, "foram avisados os pais, para não trazerem os filhos para a creche, e os cerca de cinco ou seis funcionários que mais diretamente lidaram com a criança, desde a educadora às auxiliares".

O responsável adiantou que a sala, "frequentada atualmente por 14 crianças de um e dois anos de idade, já foi desinfetada".

Além de creche e jardim-de-infância, a instituição, fundada em 1877, possui uma área de acolhimento de raparigas e um lar para idosos, entre outras respostas sociais.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 929.391 mortos e mais de 29,3 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.875 pessoas dos 65.021 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.