Em declarações à agência Lusa, fonte oficial da empresa refere que a Renova está a cumprir escrupulosamente o seu “rigoroso” plano de contingência, no âmbito das medidas de prevenção e combate à propagação do Covid-19, com as prioridades de “proteger as pessoas e manter os centros de produção a funcionar”.

“Temos de facto sentido o aumento da procura em Portugal, mas também nos mercados externos e na nossa ‘webshop’ nos últimos dias, mas estamos a responder e não vai haver problemas”, disse.

Nos últimos dias, em vários países europeus afetados pelo aumento do número de infetados pelo novo coronavírus, incluindo Portugal, vários relatos nos meios de comunicação social e redes sociais têm sinalizado que os consumidores estarão a esgotar das prateleiras de alguns supermercados vários bens essenciais, entre os quais o papel higiénico.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS), dos 1.308 casos suspeitos, 172 aguardam resultado laboratorial.

Há ainda 5.674 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

O boletim de hoje indica que há 11 cadeias de transmissão ativas, quase o dobro das registadas na quinta-feira.

Dos 112 casos confirmados de Covid-19 em Portugal, 107 estão internados.

Entre os doentes internados estão os casos de um menino com menos de 10 anos e de 15 jovens entre os 10 e os 19 anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.