No seu pedido, expresso em carta, os gestores do processo na Câmara dos Representantes explicitaram a sua intenção de apresentar um caso forte contra o antigo Presidente, apesar de este já ter saído da Casa Branca.

Um assessor de Trump não respondeu a um pedido de comentário por parte da AP.

O julgamento do caso de destituição de Trump começa no Senado em 09 de fevereiro. Trump é acusado de incitar uma multidão de apoiantes, que atacaram o Capitólio em 06 de janeiro.

Na carta, o representante Jamie Raskin, um dos gestores do processo, solicitou que Trump depusesse “antes ou durante o julgamento no Senado para a destituição”, e sob examinação cruzada, sobre a sua conduta em 06 de janeiro, tão depressa quanto segunda-feira e não depois de quinta-feira, dia 11 de fevereiro.

Raskin disse que Trump questionou factos críticos no caso, “apesar de provas claras e esmagadoras da sua [dele, Trump] ofensa constitucional”.

No seu texto, Raskin especificou: “À luz da sua contestação de alegações factuais, escrevo-lhe para o convidar a prestar testemunho sob juramento, seja antes ou durante o julgamento no Senado, sobre a sua conduta em 06 de janeiro de 2021″.

Acrescentou ainda que se Trump recusar testemunhar, os gestores do processo vão usar a sua recusa contra ele no julgamento.

“Com efeito, apesar de um Presidente em exercício pode mencionar preocupações com distrações dos seus deveres oficiais, esta preocupação não é aplicável aqui, obviamente”, considerou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.