Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal dos Açores da PJ revela que as alegadas vítimas foram "três meninas menores, com idades compreendidas entre os 10 e os 15 anos, aquando do início dos delitos".

Segundo a Polícia Judiciária, "os factos ocorreram entre os anos de 2012 e 2021, num contexto em que os arguidos se aproveitaram da proximidade familiar existente para constranger as vítimas à prática, reiterada, de atos sexuais de relevo".

"Os factos ocorreram no Grupo Ocidental", composto pelas ilhas das Flores e Corvo, do arquipélago dos Açores, precisou ainda a PJ.

Os detidos já foram presentes às autoridades judiciárias, e de acordo com a PJ, foi-lhes aplicadas, "entre outras, as medidas de coação de proibição de aproximação e de contactos com as vítimas, bem como apresentações periódicas no órgão de polícia criminal da respetiva área de residência".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.