A rede VOST Portugal – Associação de Voluntários Digitais em Situações de Emergência é uma associação sem fins lucrativos que se dedica, como o nome indica, a prestar informação em situações de emergência. No dia-a-dia, contam com 30 voluntários, que já consideram ser “uma família”, mas no total são cerca de 120 pessoas.

Têm como mote “trabalhar para a invisibilidade, sempre com transparência” e por missão “a comunicação de emergência em tempo real, usando as redes sociais durante emergências”, como explicam em nota no site.

Ao SAPO24, descrevem que o seu foco está “em transmitir informação validada, oficial, e fidedigna – sem bias e em tempo útil – que pode ajudar todos” e explicam que parte do trabalho passa também por traduzir mensagens oficiais, “que são por vezes formais e altamente técnicas, ou que usam acrónimos que apenas uma pequena fatia da população conhece”, por forma a que todos aqueles com acesso a redes sociais possam facilmente entender a mensagem. Esclarecer, descomplicar e tornar a informação acessível com base em dados oficiais é o objetivo.

Um dos exemplos da atuação da VOST foi materializado no desenvolvimento de um vídeo para esclarecimento sobre a “Vespa Velutina" (também conhecida como vespa asiática), criado em setembro de 2019 com a ajuda técnica da APICAVE e da DGAV, e que acabou por ser difundido em Câmaras Municipais, Centros de Saúde e escolas.

No trabalho que atualmente realizam, monitorizam as redes sociais para identificar questões, apelos ou campanhas e proceder à sua validação com as entidades oficiais; divulgam nas redes sociais informação oficial sobre o novo coronavírus (SARS-CoV-2) e a covid-19 e desenvolvem soluções tecnológicas e conteúdos sobre a temática. Estão presentes no Twitter, Facebook, Instagram, Telegram e Whatsapp.

Estiveram envolvidos no desenvolvimento do site e da app oficial “EstamosOn” – que reúne informação do Governo sobre a atuação no âmbito da covid-19 –, levaram a cabo iniciativas de apoio aos profissionais de saúde e chegaram até a desenvolver uma plataforma agregadora de estabelecimentos, a “#Open4Business”. São ainda os responsáveis por um site dedicado à covid-19, que foi recentemente atualizado, reformulando o separador “DashBoards”, onde os dados são transformados em gráficos, facilitando a leitura.

Foi na sequência destas iniciativas que a VOST Portugal e os seus voluntários, “que anonimamente e também de forma exemplar desempenharam um papel crucial na resposta digital à pandemia”, receberam um louvor público do secretário de Estado da Transição Digital, que elogiou o seu “apoio imprescindível”.

Com áreas de atuação muito variadas, cada voluntário contribui com as suas valências e com o tempo que pode dispensar à VOST Portugal, desde a criação de conteúdos (copywriting, design, vídeo), programação, OSINT (Open Source Intelligence), recolha de informação e a participação em projetos a nível nacional e europeu.

Tudo começou com os incêndios

A iniciativa começou a ganhar forma em 2018, durante os incêndios de Monchique. Os fundadores da VOST não se conheciam entre si, mas, nesse momento em que havia pouca informação, decidiram juntar-se na rede social Twitter e começar a recolher informação oficial e fidedigna, que era disponibilizada sob um hashtag. Os voluntários criaram, então, uma conta nesta rede social para agregar a informação recolhida e inicialmente adotaram o nome de utilizador @CONAC-TW – com alusão ao acrónimo CONAC que se refere ao Comandante Operacional Nacional da Proteção Civil. Agora, são conhecidos pela conta @VOSTPT.

“Todos os projetos têm o seu período de juvenilidade, e até infantilidade, e o nome ‘CONAC-TW’ foi isso mesmo: um protesto juvenil, uma demonstração de rebeldia que, no fundo, traduzia (muito) mal a ideia que sempre esteve por detrás de todos os que integram a VOST Portugal: mais do que criticar as entidades oficiais, queremos contribuir com soluções que permitam que as populações estejam mais preparadas e mais bem informadas, antes, durante e após qualquer tipo de emergência”, explicam ao SAPO24.

E é exatamente isso que fazem desde então: contribuir com soluções e informações para a população. Sem um plano concreto, surgiu a ideia de criar uma VOST.

“Após os incêndios de Monchique, nem sequer sabíamos se íamos continuar com esta colaboração, apesar de já termos um servidor no Discord [aplicação de mensagens e outros recursos de comunicação, inicialmente criada para a comunidade de gaming] para compilar informação, e seguindo com muito interesse, o que as equipas VOST faziam em Espanha”.

A tempestade Leslie atravessou-se, no entanto, no caminho do grupo e acabou por decidir o seu futuro. Enquanto a tempestade atingia Portugal, fizeram o acompanhamento da sua passagem, procurando informação no Facebook, fóruns e através do contacto com os bombeiros e pessoas em zonas afetadas pela tempestade, validando sempre os dados antes de publicar.

Explicam que foi aqui que se aperceberam que o trabalho desenvolvido era “necessário e tinha um impacto positivo na população” e os poucos seguidores que tinham à data cresceram de cerca de 400 para aproximadamente 4000, no espaço de poucos dias.

A importância da atuação durante a passagem da tempestade resultou num convite para integrarem formalmente a rede internacional @VOSTEurope, o Virtual Operations Support Group europeu e para formar uma equipa VOST em Portugal.

Mais tarde, em agosto de 2019, aquando da greve de motoristas de matérias perigosas, criaram a página “Já Não dá para Abastecer”, que informava os portugueses onde poderiam encher o depósito.

Em outubro de 2019, a VOST Portugal constituiu-se como associação formal.

A atuação durante a pandemia

A 28 de janeiro de 2020, perante o surgimento de notícias a nível global sobre a pandemia, a VOST Portugal começou a fazer “um acompanhamento mais metódico sobre as notícias e informações oficiais que iam surgindo um pouco por todo o mundo”.

A comunicação relacionada com uma pandemia na era do digital era então um terreno completamente desconhecido. A 2 de março de 2020, a Direção-Geral da Saúde confirmou os dois primeiros casos de covid-19 em Portugal e logo no dia 11 de março a associação foi convidada a integrar o Gabinete de Resposta Digital à covid-19.

Ainda em março, foi lançado ao público o portal de informação "EstamosON" que informava sobre as medidas do Governo relativas à covid-19 e essa foi a primeira colaboração oficial da VOST. O portal foi programado em tempo recorde - apenas 4 dias - pelos voluntários da associação, que ficaram também responsáveis pela gestão das FAQ no site.

“O convite, que muito nos honrou, partiu do Ministério da Economia pela mão do secretário de Estado para a Transição Digital, após uma audiência que tinha ocorrido, a nosso pedido, para apresentação do ‘Contract For The Web’ [Contrato para a Web] da Web Foundation, contrato do qual somos signatários e fomos mandatados para apresentar ao governo português por aquela fundação”.

O Contrato para a Web visa um plano de ação global para tornar o mundo online seguro e fortalecedor para todos e foi criado por representantes de mais de 80 organizações, governos, empresas e sociedade civil, estabelecendo compromissos para orientar as agendas das políticas digitais.

Com o início do desconfinamento e a reabertura de alguns espaços comerciais, a VOST Portugal, em parceria com a Secretaria de Estado para a Transição Digital, lançou a plataforma agregadora de informação “#Open4Business” que permitia a qualquer empresa informar os cidadãos sobre os seus produtos, horários, e restrições. A plataforma foi depois desativada a 19 de agosto.

Em junho, terminou a ativação #COVID19PT, iniciada a 28 de janeiro, mas a VOSTPT continuou a acompanhar a situação da pandemia no país e a publicar diariamente os boletins da DGS. Assim, entre junho e outubro dividiram a “atenção operacional” com o período de incêndios rurais.

“Em junho entrou-se num período de desconfinamento a nível nacional e pensámos ser uma boa altura também para descansarmos todos de uns meses que foram bastante árduos e envolventes”, explicaram ao SAPO24.

No entanto, a 31 de outubro, o Governo anunciou novas medidas para combater a pandemia e restrições de circulação, o que levou a VOST a decidir retomar uma ação mais intensa.

“A decisão de voltarmos a reativar o site dedicado à covid-19, que, entretanto, sofreu uma grande remodelação no dia 23 de novembro, deve-se à entrada novamente num período onde é necessário informar com clareza e com dados oficiais”, refere a associação.

Mais uma vez, adotam a postura de simplificar a mensagem, tornando-a acessível a todos. Para tal, com a reativação do site dedicado à covid-19, criaram a secção "Dashboard" e começaram a transformar dados complexos em gráficos. Os dados são atualizados diariamente e as fontes usadas são a Direção-Geral de Saúde, a PORDATA e a Data Science For Social Good.

“Está Na Hora De” combater a desinformação

A 9 de novembro, a VOST Portugal lançou mais uma campanha. “Está Na Hora De” pretende combater a desinformação e alertar para os comportamentos de risco, relembrando as medidas que todos podem adotar.

O objetivo é desmontar os “movimentos negacionistas, nomeadamente com conceitos importados  do Brasil e dos EUA que usam o cansaço que todos sentimos para puxar agendas sem base científica”.

“A campanha tem por base essa ideia, chamando a atenção para ter um pensamento crítico relativamente à informação que consumimos”, referem.

Mesmo trabalhando diariamente para difundir informação sobre a covid-19 de forma simples e prática, a VOST mantém no ar outro tipo de temáticas como alertas sobre meteorologia, fraude, phishing, segurança online e até sobre a Black Friday.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.