O primeiro dos 30 radares do SINCRO entrou em funcionamento a 06 de julho de 2016 e foi instalado na autoestrada A5, que liga Lisboa e Cascais. Na altura, o Governo previa que este sistema estivesse a funcionar em pleno em janeiro deste ano.

O SINCRO é o sistema para deteção automática da infração de excesso de velocidade, sendo composto por 30 radares móveis instalados em 50 locais considerados críticos.

Numa resposta enviada à Lusa, a ANSR refere que atualmente todas as cabines (50) estão instaladas nos respetivos locais de controlo de velocidade, o mesmo acontecendo com os 30 radares.

No entanto, adianta a ANSR, alguns destes locais de controlo de velocidade “estão ainda em fase de ligação à rede elétrica de baixa tensão”.

Segundo a Segurança Rodoviária, estão em estado operacional 21 locais de controlo de velocidade, sendo estes que estão equipados e em funcionamento.

A ANSR não avançou o número de infrações registadas pelo sistema durante o primeiro ano de atividade.

Na segunda-feira, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, afirmou aos jornalistas que o sistema deve estar a funcionar em pleno no final deste mês.

No final da cerimónia que assinalou o 8.º aniversário da Unidade Nacional de Trânsito da GNR, Jorge Gomes adiantou que as 50 caixas estão instaladas, faltando “a instalação elétrica” em algumas delas.

Os 30 radares de controlo de velocidade não são fixos, funcionando num sistema rotativo previamente definido, nas 50 cabines, sendo a sua instalação aleatória e os condutores são informados da sua presença através de um sinal de trânsito.

O primeiro radar foi instalado, em 2015, sete anos depois de ter sido anunciado o projeto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.