As duas mulheres, de cerca de 50 anos, "eram funcionárias da escola" Malmö Latin, localizada no centro da cidade, a terceira maior do país.

De acordo com a imprensa local, o suposto autor do crime entrou em contato com o serviço de emergência para informar onde se encontrava, que estava em posse de uma arma e para admitir ter matado as duas pessoas. Alguns meios de comunicação suecos indicaram que o suspeito tinha uma faca e um machado.

Antes, foi divulgada a informação de que duas pessoas tinham ficado feridas no ataque, entre as cerca de 50 que estavam no estabelecimento no momento do crime. As duas vítimas "foram levadas a um hospital, mas as suas vidas não puderam ser salvas", informaram as autoridades.

Segundo imagens exibidas pela televisão sueca, cordões policiais foram instalados em frente ao estabelecimento estudantil e muitos veículos da polícia e ambulâncias foram enviados para o local. Nenhuma motivação nem modus operandi foram revelados até agora.

Quando a polícia foi alertada quanto ao incidente, mobilizou um grande dispositivo de segurança e conseguiu assumir o controlo da situação, segundo o relato incompleto das autoridades.

Depois de receber informações preliminares de que havia gritos na escola, "obtivemos mais dados sobre o grave crime que estava a ser cometido, com atos de violência no interior do colégio", declarou à AFP um porta-voz da polícia, Nils Norling.

"A primeira patrulha chegou à escola e deteve um homem suspeito. Conseguiram ver que havia dois feridos dentro do centro de ensino", acrescentou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.