“A operação de hoje culminou uma fase, mas a investigação irá prosseguir. Vamos juntar outras peças e tentar apurar a amplitude da atividade criminosa, designadamente identificar outros eventuais participantes nesta atividade”, disse aos jornalistas António Madureira.

O responsável da PJ falava aos jornalistas no subdestacamento da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR, em Portimão, local onde foram expostos os fardos de haxixe e um dos veículos apreendidos na operação que decorreu desde as 20:30 de segunda-feira, na praia do Alemão, no concelho de Portimão.

Segundo António Madureira, a apreensão de 59 fardos de haxixe e a detenção de 10 pessoas de várias nacionalidade, em flagrante, quando descarregavam a droga, “é o culminar de uma investigação que decorria há cerca de um ano e meio”.

Na opinião daquele responsável, o produto estupefaciente poderia não ter como destino Portugal, sendo o território português “apenas um ponto de passagem”.

“Por norma, e neste tipo de tráfico, Portugal é apenas um ponto de passagem”, sublinhou o responsável pela diretoria do Sul da Polícia Judiciária.

Por seu turno, o comandante do Destacamento de Controlo Costeiro de Olhão da GNR, Nuno Marinho, referiu que a interceção da embarcação semirrígida que transportava a droga resultou da vigilância efetuada com o apoio da PJ.

“A embarcação foi detetada ao largo de Portimão e quando percebemos que navegava em direção à praia, foram acionados os meios marítimos e terrestres para a intercetar e fazer a abordagem aos indivíduos que se encontravam na praia”, referiu.

De acordo com Nuno Marinho, os detidos encontravam-se “na praia e nas suas imediações a utilizar as viaturas, entre elas dois veículos ligeiros todo-o-terreno, que estavam já carregados com os fardos de haxixe”.

“Não houve resistência, mas houve uma tentativa de fuga, tendo sido disparados tiros de advertência, até mesmo para segurança dos próprios indivíduos que se encontravam na praia”, frisou.

O militar acrescentou que um dos homens detidos “ficou ferido ligeiramente, com escoriações sofridas numa das pernas, resultantes de uma queda numa das rochas da praia”, tendo sido conduzido ao hospital para ser assistido.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.