O Sri Lanka está de luto pela morte do elefante mais sagrado do país, que será homenageado brevemente num funeral organizado de forma simbólica e que reunirá muitos cingaleses (cidadãos do Sri Lanka), escreve o jornal britânico The Guardian.

Nadungamuwa Vijaya Raja, popularmente conhecido como Raja, era considerado o maior elefante domesticado da Ásia. Quando era mais novo, chegou a estar no leque de “escolhidos” como os elefantes de elite, que carregavam relíquias budistas sagradas durante um desfile anual no Sri Lanka.

Uma vez dada a notícia do falecimento do animal, aos 68 anos, centenas de cidadãos do Sri Lanka viajaram para prestar homenagem ao elefante, que estava coberto com um manto branco e com flores.

Segundo o Guardian, Raja foi um dos dois filhos do elefante que o rei de Mysore ofereceu a um monge médico do Sri Lanka para agradecer por curar um dos parentes do rei de uma doença.

Por mais de uma década, o papel “sagrado” de Raja foi carregar a "relíquia do dente sagrado de Buda" durante uma festividade religiosa budista do Sri Lanka — a procissão anual de Esala.

O presidente do Sri Lanka já garantiu que os restos mortais do animal serão preservados para contemplação das “gerações futuras”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.