Logo na parte inicial do seu discurso, que encerrou o primeiro comício de campanha eleitoral do PS, no Pavilhão Carlos Lopes, António Costa agradeceu a presença e a intervenção antes feita pelo seu ministro das Finanças.

O líder socialista lembrou o envolvimento de Mário Centeno na elaboração do cenário macroeconómico que o PS apresentou em 2015, antes das eleições legislativas desses anos, e referiu que, então, "olharam para ele com enorme desconfiança".

"Mas que bom ver quatro anos depois todos quererem ter o seu Centeno. Já há quatro anos devíamos ter desconfiado, porque quem desdenha quer comprar", disse.

A seguir, ainda usando um tom de humor, pegou na comparação que o antigo ministro das Finanças alemão Wolfgang Schauble fez entre o atual presidente do Eurogrupo e o jogador de futebol da Juventus Cristiano Ronaldo.

"O senhor Schauble até pode achar que ele [Mário Centeno] é [Cristiano] Ronaldo. Só que o passe não está à venda", declarou, recebendo uma salva de palmas dos militantes e simpatizantes socialistas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.