“Vejo poucas pessoas inscritas. Estávamos a contar com mais pessoas inscritas. Nós tínhamos uma capacidade instalada, para hoje, para qualquer coisa como 60 mil pessoas, foi aquilo que nos pediu o MAI [Ministério da Administração Interna]”, disse aos jornalistas o autarca portuense à entrada do pavilhão.

Rui Moreira, que também votou antecipadamente hoje e se preparava para receber o secretário-geral do PS e primeiro-ministro António Costa, disse ainda que já tiveram de ser desmontadas algumas mesas de voto.

“Tínhamos 120 mesas, já tivemos de desmontar algumas, temos muito menos, temos menos de 20 mil pessoas. Preocupa-me muito que toda esta situação de pandemia leve a que haja pessoas que fiquem em casa”, partilhou.

“O importante é que todos que possam venham votar. É muito importante. A democracia precisa do voto de todos”, reforçou.

O autarca disse ainda não compreender as medidas Direção-Geral da Saúde (DGS), afirmando que não se iria pronunciar concretamente sobre as medidas relativas às eleições, quando questionado sobre a votação das pessoas em isolamento ou infetadas.

“Coisas da Direção-Geral da Saúde já não consigo compreender há muitos meses, continuo a não compreender, mas não me queria pronunciar sobre isso. Eles é que sabem, nós obedecemos. Estamos naquela fase em que é a Direção-Geral da Saúde que manda no país. Eu cumpro regras”, afirmou aos jornalistas.

Questionado sobre se também cumprimentaria o presidente do PSD, Rui Rio, caso este viesse votar antecipadamente, Rui Moreira respondeu que o faria caso o encontrasse hoje, dizendo também que receberia o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, caso este também tivesse optado por votar antecipadamente no Porto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.