Esfaqueadas várias vezes, as vítimas sofreram mutilações no peito e uma delas foi encontrada quase decapitada.

Michael Gargiulo, conhecido como "Estripador de Hollywood", vai, contudo, escapar do corredor da morte por enquanto, já que a Califórnia estabeleceu uma moratória às execuções em 2019. Nenhum detido foi executado naquele estado desde 2006.

O ator Ashton Kutcher conhecia a primeira vítima, a estudante de design de moda Ashley Ellerin, de 22 anos, com quem tinha marcado um encontro na noite da sua morte, no final de 2001.

Kutcher disse ao tribunal que estava atrasado para o encontro e ninguém lhe abriu a porta. Depois olhou pela janela e viu o que julgou ser vinho tinto derramado no chão e deixou o local, pensando que a jovem tinha ido embora sem o esperar. Ellerin foi depois encontrada morta em casa, tendo sofrido 47 facadas.

A segunda vítima, Maria Bruno, de 32 anos, vizinha de Gargiulo, foi esfaqueada 17 vezes durante o sono em dezembro de 2005.

O promotor Dan Akemon garantiu que Gargiulo atacou mulheres que moravam perto dele e esperou pacientemente o momento para atacar. Foram "assassinatos cuidadosamente planeados", afirmou.

Diante do tribunal, Gargiulo declarou-se novamente inocente na sexta-feira. O homem foi preso em 2008 em Santa Monica, perto de Los Angeles, após se cortar acidentalmente durante o ataque a uma terceira vítima, que sobreviveu.

Gargiulo também está a ser julgado em Illinois pelo assassinato de uma mulher em 1993.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.