“Precisamos de uma Europa mais eficaz, mais democrática, mais política”, salientou Emmanuel Macron, no seu discurso de tomada de posso.

Os franceses “escolheram a esperança e o espírito de conquista”, afirmou aquele que se tornou, aos 39 anos, o mais jovem presidente de sempre na França, prometendo não ceder relativamente aos compromissos assumidos durante a sua campanha eleitoral.

“Assumiremos todas as nossas responsabilidades [no sentido de] dar, sempre que for necessário, uma resposta relevante às grandes crises contemporâneas”, referiu durante a cerimónia que decorreu no Palácio do Eliseu.

Na sua lista de futuros desafios também colocou “os excessos de capitalismo no mundo” e as alterações climáticas.

Emmanuel Macron salientou que todos os países no mundo são “interdependentes …[e] vizinhos” e anunciou a sua determinação para avançar reformas para libertar a economia francesa.

Macron desloca-se na segunda-feira à Alemanha, na sua primeira visita como chefe de Estado, para se reunir com a chanceler Angela Merkel.

“Hoje, neste domingo, 14 de maio, neste instante em que assume as suas funções, apresentamos as nossas felicitações mais sinceras”, declarou o presidente do Conselho Constitucional, Laurent Fabius, na cerimónia de tomada de posse, depois ter recordado os resultados da segunda volta das eleições presidenciais nas quais Emmanuel Macron obteve 66,10% dos votos e Marine Le Pen 33,90%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.