O ex-CEO da Volkswagen, Martin Winterkorn, foi acusado nos Estados Unidos de fraude pelo seu papel no escândalo “dieselgate” da gigante alemã Volkswagen.

Os procuradores acreditam que Winterkorn sabia da manipulação de emissões nos veículos da empresa desde maio de 2014, mas decidiu dar continuidade à fraude, segundo um comunicado do Departamento de Justiça.

Martin Winterkorn está entre seis executivos da Volkswagen acusados nos EUA no âmbito deste caso.

No ano passado, a Volkswagen concordou em declarar-se culpada por importar ilegalmente quase 600 mil veículos equipados com dispositivos para contornar os padrões de emissão.

Winterkorn, 70 anos, foi diretor-executivo da Volkswagen por oito anos. Renunciou o cargo depois da polémica das emissões de Diesel ter sido exposta no final de 2015.

Em todo o mundo, cerca de 11 milhões de veículos foram afetados pela fraude cometida pelo grupo Volkswagen, dos quais oito milhões na Europa.


Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.