O antigo presidente da “Generalitat”, que é também eurodeputado, foi detido esta quinta-feira à noite à chegada ao aeroporto, na ilha da Sardenha, em Itália, avança a imprensa espanhola.

A notícia também foi confirmada pelo seu advogado, Gonzalo Boye, no Twitter: “O Presidente Puigdemont foi preso ao chegar a Sardenha, onde se deslocava como deputado europeu”.

De acordo com o jornal espanhol El País, o político terá sido detido por agentes das autoridades italianas aquando da chegada ao aeroporto de Alghero, onde iria assistir a Aplec Internacional Adifolk - um evento que promove o folclore catalão -, onde estariam presentes Victòria Alsina, responsável pela pasta dos Negócios Estrangeiros na Catalunha, e Laura Borràs, presidente do parlamento da Catalunha.

Puigdemont era alvo de um mandado de captura internacional, emitido pelo juiz Pablo Llarena, do Supremo Tribunal de Espanha.

O Parlamento Europeu levantou a imunidade de Carles Puigdemont e de dois dos seus ex-conselheiros, Toni Comín e Clara Ponsati, também eurodeputados, que estão fugidos à justiça espanhola por estarem envolvidos na organização, em 2017, de um referendo considerado ilegal sobre a independência da Catalunha.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.