“Decidi hoje, em consciência, deixar a liderança desta grande nação”, afirmou Jammeh, numa breve declaração ao país, transmitida pela televisão do Estado, manifestando a sua “infinita gratidão” para com o povo.

Yahya Jammeh garantiu que a decisão – após semanas de impasse – foi apenas sua, apesar da imensa pressão exercida por parte de líderes regionais para ceder o poder a Adama Barrow, que venceu as eleições presidenciais de 01 de dezembro.

“A minha decisão de hoje não foi impulsionada por outra coisa que não o interesse supremo do povo gambiano e do nosso querido país”, sublinhou Jammeh.

“Numa altura em que assistimos a problemas e medos em outras partes de África e do mundo, a paz e a segurança da Gâmbia é a nossa herança coletiva que devemos zelosamente proteger e defender”, realçou.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.