“As causas do acidente e todos os factos ocorridos serão agora detalhadamente apurados no decorrer do processo de averiguações mandado instaurar pelo major-general comandante da Academia Militar [João Jorge Botelho Vieira Borges]”, indica o Exército, em comunicado.

A nota relata que o acidente aconteceu pelas 20:15 no decorrer de um exercício da Academia Militar, quando “uma viatura militar (pesada), que transportava 20 cadetes e era conduzida por um militar do Exército, capotou, na região de Moinhola (Vendas Novas), provocando ferimentos ligeiros em todos os ocupantes”, ressalvando que mais ninguém esteve envolvido no acidente.

O Exército refere que, "em contacto e estreita coordenação" com os hospitais e centros de saúde que receberam os feridos, a situação atual indica que “dos 20 cadetes assistidos ao longo da noite apenas um permanece internado por precaução e em observação”.

Após "o imediato acionamento dos meios de socorro e a informação às autoridades competentes, à cadeia de comando e à tutela", este ramo das Forças Armadas salienta que “a principal prioridade dos trabalhos que decorreram no local, sob a responsabilidade da Academia Militar, foram para o restabelecimento das condições de segurança no local, o aviso às famílias dos cadetes feridos” e o “incentivo aos cadetes e militares que saíram ilesos, para contactarem as respetivas famílias a fim de as tranquilizar”.

O comunicado dá conta ainda de que o chefe do Estado-Maior do Exército, General Rovisco Duarte, já esteve esta manhã com os cadetes e militares da Academia Militar, na área do exercício.

O Exército "agradece publicamente às entidades envolvidas em todo este processo, salientando e enaltecendo o trabalho das Forças de Segurança, Autoridade Nacional de Proteção Civil e, em particular, do Instituto Nacional de Emergência Médica, e dos hospitais e centros de saúde ativados, nomeadamente o Hospital do Espírito Santo, em Évora, Hospital de São Bernardo, em Setúbal e o Centro de Saúde de Vendas Novas".

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Évora indicou na noite de sexta-feira à agência Lusa que foram mobilizados para o local 55 operacionais, 23 viaturas e um meio aéreo do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Estes operacionais pertencem a várias corporações de bombeiros dos distritos de Évora e de Setúbal e foram auxiliados por duas Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação e uma de Suporte Imediato de Vida.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.