O secretário-geral da Fesap, José Abraão, disse à agência Lusa que as duas reuniões de negociação coletiva foram marcadas pelo gabinete do secretário de Estado da Administração Pública em resposta ao pedido que a federação fez na semana passada.

Na convocatória para duas reuniões, o Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, admitindo que a Fesap venha a requerer a reunião de negociação suplementar, propôs que a mesma se realize no dia 17.

A Federação de Sindicatos da Administração Pública, filiada na UGT, anunciou no início da semana passada que ia desconvocar a greve marcada para 12 de novembro e que tinha pedido ao Governo uma reunião para esclarecer o futuro do aumento do salário mínimo nacional.

O Secretariado Nacional da federação decidiu desmarcar a greve após ter analisado a situação política face ao chumbo parlamentar da Proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2022.

A greve tinha sido anunciada há cerca de duas semanas pela Fesap, que fez coincidir o protesto com a paralisação nacional já marcada pela Frente Comum, da CGTP.

A Fesap, segundo José Abraão, decidiu a suspensão de todas as ações de protesto previstas até ao dia 25 de novembro, data em que seria aprovado, em votação final global, o Orçamento do Estado.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já anunciou a realização de eleições legislativas antecipadas em 30 de janeiro de 2022.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.