Em comunicado hoje divulgado, a GNR adianta que os militares da Unidade de Ação Fiscal apreenderam também 3.568 dispositivos de jogo ilícito do tipo “tômbola”, 13 máquinas de jogo do tipo “slot machine” e “poker”, 12 dispositivos e respetivas impressoras para apostas desportivas tipo “Placard” e 750 raspadinhas ilícitas.

Os arguidos, um homem e duas mulheres, com idades entre os 30 e os 48 anos, são suspeitos de fraude fiscal qualificada, exploração ilícita de apostas desportivas on-line e de jogos de fortuna e azar.

A GNR estima que o valor dos rendimentos ilícitos obtidos seja superior aos 17 milhões de euros.

A operação foi o culminar de 16 meses de investigação, segundo a GNR, e o inquérito crime é dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação penal do Seixal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.