Em declarações à Lusa, o tenente-coronel Silva Ferreira informou que pelas 17:00 foi encerrado o trânsito dos dois sentidos da A3, entre a Maia e santo Tirso, devido aos incêndios florestais que deflagraram na zona da Trofa e Maia.

“O trânsito está a ser desviado e estamos a retirar carros cisterna com combustíveis, porque com o aumento das temperaturas, as coisas podem complicar”, tenente-coronel Silva Ferreira.

Também a autoestrada que liga Coimbra à Figueira da Foz (A14) está encerrada ao trânsito no lanço entre os nós de Ançã, no concelho de Cantanhede, e de Arazede (Montemor-o-Velho), disse hoje fonte da GNR.

A interrupção da circulação automóvel naquele lanço da via, em ambos os sentidos, deve-se essencialmente à falta de condições de visibilidade, provocada pelo fumo de um incêndio florestal, acrescentou.

Os nós de Ançã e de Arazede também dão acesso às estradas nacionais 234-1 e 335, respetivamente, e a Cantanhede.

A A14 também esteve cortada ao trânsito, na quinta-feira, a partir das 18:00 e durante cerca de quatro horas, igualmente por falta de condições de segurança, resultante então de um fogo que tinha deflagrado, ao final da manhã, na zona de Barcouço (Mealhada).

Este fogo também obrigou, na quinta-feira, ao corte da A1, entre Coimbra Norte e Mealhada, durante cerca de nove horas.

De acordo com a página da Proteção Civil na internet, o incêndio florestal que provocou a interdição da A14 deflagrou, pelas 14:50, perto de Portunhos, no concelho de Cantanhede, estando, pelas 18:00, a ser combatido por cerca de centena e meia de operacionais, apoiados por 38 viaturas e dois meios aéreos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.