“O flanco esquerdo e a cabeça do incêndio estão dominados. O flanco direito, face àquilo que são os acessos difíceis, é que ainda não está. Estão a ser colocados meios para que rapidamente se consiga resolver a situação”, adiantou à Lusa fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa.

De acordo com a mesma fonte, pelas 21:00, o incêndio atingia uma zona de mato.

“Acreditamos que, nas próximas horas, o incêndio será dominado e depois iremos desenvolver trabalhos de consolidação de todo o perímetro”, acrescentou.

No terreno, às 18:30, estavam 122 operacionais, 37 veículos e três meios aéreos, tendo o alerta de fogo surgido às 16:28, segundo as informações disponíveis na página na Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

A ANEPC alertou hoje para o aumento gradual do risco de incêndios rurais, especialmente no norte e centro, até sábado, devido às previsões de tempo quente e seco.

O alerta faz parte de um aviso à população hoje divulgado, que se baseia na informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), segundo a qual se prevê para os próximos dois dias tempo quente e seco, com condições favoráveis ao aumento do risco de incêndios.

A ANEPC refere especialmente a baixa humidade relativa do ar, a subida gradual das temperaturas máximas, que podem ir aos 41 graus celsius no interior sul e vale do Tejo, as noites tropicais em grande parte do país, e o vento que pode ser moderado a forte de manhã e a partir do fim da tarde.

Devido ao calor, o IPMA colocou quase todo o continente em aviso amarelo (o menos grave) entre hoje e as 18:00 de sábado.

(Notícia atualizada às 21h41)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.