Luís Capoulas Santos, que participou, com o ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, na apresentação de um balanço preliminar do programa conjunto de vigilância preventiva Faunos, na Serra de Santo António, freguesia de Minde, concelho de Alcanena, no distrito de Santarém, afirmou que, a partir de sexta-feira, com o elevar do aviso de alerta, devido ao “grau de secura muito elevado” e ao risco “muito grande” de incêndio, “é absolutamente proibido operar máquinas agrícolas” e fazer queimas ou queimadas.

“Apelo com veemência aos pastores, aos criadores de gado, aos agricultores, a todos aqueles que trabalham no campo com máquinas, com outros equipamentos, que, em dias como este e os que se aproximam, a que cumpram a lei”, disse.

O Governo decidiu hoje declarar a situação de alerta em Portugal continental entre as 00:01 de sexta-feira e as 23:59 de sábado, devido ao "agravamento do risco de incêndio" decorrente do estado do tempo.

A decisão foi tomada por despacho conjunto dos ministros da Administração Interna e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, que anunciaram a medida em comunicado.

De acordo com as previsões meteorológicas, é esperado até sábado um aumento da intensidade do vento, acompanhado pela continuação de tempo quente e seco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.