A descoberta foi feita por investigadores da Armenise-Harvard do Instituto Italiano de Medicina Genómica (IIGM) que explicaram que a vacina instrui o sistema imunológico a reconhecer as células cancerígenas.

A vacina revelou-se eficaz, em associação com um medicamento para a imunoterapia, em 12 doentes com um subtipo de cancro do cólon na fase metastática, refere a agência de notícias italiana. “Considero que a técnica para a realização destas vacinas foi decididamente comprovada e que os dados obtidos nos primeiros ensaios clínicos são muito promissores”, afirmou a diretora do laboratório Armenise-Harvard, Luigia Pace.

Segundo Luigia Pace, “existe agora uma possibilidade concreta de criar novas vacinas que serão eficazes contra muitos outros tipos de cancro”.

A descoberta, que foi realizada em colaboração com a empresa suíça/italiana de biotecnologia Nouscom, foi descrita num artigo publicado na revista Science Translational Medicine.

A equipa de investigação está sediada na Fundação de Oncologia do Piedmont, em Candiolo, nos arredores de Turim.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.