Intervindo após a primeira-ministra britânica, que atualizou os deputados sobre o resultado do Conselho Europeu da semana passada em Bruxelas, Corbyn criticou os dois candidatos à sucessão de Theresa May, Boris Johnson e Jeremy Hunt, por terem admitido uma saída sem acordo se a UE não aceitar renegociar o acordo.

"Quem quer que seja o próximo primeiro-ministro, ele mal conseguirá o apoio desta Câmara, por isso não terá certamente mandato para forçar um 'Brexit' desastroso de extrema-direita a este país. E deixo claro que os trabalhistas vão trabalhar [com deputados] de toda a Câmara para impedir uma saída sem acordo", vincou.

O líder trabalhista defendeu também que "qualquer que seja o plano de 'Brexit' que o novo líder conservador venha a propor, após três longos anos de fracasso, ele deve ter a confiança para voltar [a consultar] o povo sobre um acordo aprovado pelo parlamento".

Theresa May referiu que os líderes dos restantes 27 Estados membros reiteraram o desejo de evitar uma saída britânica da UE desordenada, e que querem trabalhar "construtivamente" com o sucessor, o qual só será conhecido no final de julho.

Ambos os candidatos, Boris Johnson e Jeremy Hunt, têm afirmado a disposição de prosseguir uma saída sem acordo no final do prolongamento do processo, a 31 de outubro, se não conseguirem alterações ao acordo, em particular na questão relativa à solução para a Irlanda do Norte.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.