“Será um aumento considerável dos postos de trabalho, que ocorrerá ainda este ano”, disse à Lusa o responsável da fábrica de Valença.

César Matillanos escusou-se, no entanto, a adiantar o número de novos empregos que se juntarão aos cerca de 300 já existentes.

Instalada em Valença desde 2009, a Lear Corporation, com as novas instalações hoje inauguradas, aumentou em 11.000 metros quadrados o seu espaço de produção e em 1.200 metros quadrados o seu espaço administrativo.

Passa, assim, a dispor de uma área total de produção de 20.600 metros quadrados e de um espaço total administrativo de 2.000 metros quadrados.

A Lear Corporation apresenta-se como “fornecedor líder internacional” de assentos e de sistemas elétricos para automóveis.

O vice-presidente executivo da Lear Corporation, Frank Orsini, citado num comunicado da multinacional, realça que as novas instalações permitirão “optimizar” a capacidade de entrega dos produtos, “de classe mundial”.

“A fábrica de Valença apresentará uma tecnologia avançada orientada para o nosso compromisso de excelência operacional”, sublinhou.

A Lear Valença produz componentes de assentos e componentes de 'chassi' estrutural e executa soldadura, pintura e montagem para os principais fabricantes europeus de automóveis.

Também produz assentos para a fábrica de montagem “just-in-time” da Lear em Vigo, Espanha.

Presente na inauguração das novas instalações, a secretária de Estado da Indústria, Ana Teresa Lehmann, destacou a importância do investimento da Lear em Portugal e enfatizou o contributo do cluster automóvel para a economia nacional.

“O cluster automóvel representa quase 6% do PIB português e 20% das nossas exportações de bens transacionáveis”, afirmou, lembrando que aquele cluster emprega mais de 72 mil pessoas em Portugal.

O presidente da Câmara de Valença, Jorge Mendes, deu conta da aposta do seu executivo em tornar o parque empresarial do concelho no “mais competitivo da região” e apelou ao Governo para a necessidade “urgente” de requalificação das estradas nacionais que o servem (EN-13 e EN-101) e da Linha [ferroviária] do Minho.

Disse ainda que espera que, em 2019, esteja concluída a ligação do parque empresarial à EN-13.

Jorge Mendes (PSD) sublinhou ainda a importância do “clima laboral de muita paz que se vive hoje em Portugal", apontando que esse é um “fator determinante” para a atração de investimento e fixação de empresas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.