A entrega da carta de protesto no Ministério da Saúde está marcada para as 11:00 e vai contar com a presença dos presidentes de federações distritais de bombeiros, dirigentes de associações e comandantes de corpos de bombeiros voluntários.

Em comunicado, a LBP refere que os bombeiros listam na carta de protesto todos os constrangimentos que têm vivido, nomeadamente financeiros para o desempenho das missões de socorro pré-hospitalar e transporte de doentes.

A LBP lamenta também a falta de respostas por parte do Ministério da Saúde para resolver o problema da falta de ambulâncias devido aos constrangimentos nas urgências hospitalares.

A Liga avança com um conjunto de soluções para mitigar as consequências do encerramento das urgências hospitalares e para reformular os termos do transporte de doentes e socorro.

A LBP tem dado conta que o encerramento de urgências hospitalares estão a ter fortes implicações nas missões de socorro dos corpos de bombeiros”, que são confrontados todos os dias com indicações de deslocação de doentes e sinistrados a dezenas de quilómetros do hospital de referência.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.