“Se me derem 200 milhões de dólares, trago todos os venezuelanos do Peru de avião no prazo de um mês”, disse Nicolás Maduro, em conferência de imprensa.

O Presidente da Venezuela dirigiu o pedido ao secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, à Alta Comissária para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, e ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

“Coloco 10 ou 15 aviões, de 300 lugares, e trago-os todos. O plano ‘Volta à Pátria’ tem uma limitação, que é o facto de não termos aviões suficientes para trazer os mais de 100 mil venezuelanos que se inscreveram para regressar”, adiantou Nicolás Maduro.

O chefe de Estado condenou a “xenofobia” sofrida pelos venezuelanos no Peru, onde vivem cerca de 850 mil, considerando que alguns sofreram “discriminação e exploração selvagem”.

O Peru, juntamente com a Colômbia e o Equador, são os países da região que receberam o maior volume dos mais de quatro milhões de venezuelanos que, segundo as Nações Unidas, deixaram o país nos últimos anos como resultado da crise.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.