Cem autocarros transportando 6749 pessoas, um quarto das quais rebeldes, deixaram esta noite uma bolsa do enclave controlada pelo grupo rebelde Faylaq al-Rahmane, noticiou a agência oficial síria Sana.

As evacuações fazem parte de um acordo concluído na semana passada entre este grupo islâmico e a Rússia, que apoia o regime após uma operação aérea e terrestre das forças do Presidente sírio, Bashar al-Assad lançada a 18 de fevereiro, que destruiu o bastião rebelde, submetido desde 2013 a um cerco asfixiante.

O poder já reconquistou mais de 90% do reduto rebelde.

Atingidos por um dilúvio de fogo e enfraquecidos por um cerco de cinco anos, os movimentos rebeldes aceitaram um a um abandonar as suas posições naquela província e retirar-se para a província de Idleb, no noroeste do país, que ainda escapa ao controlo do regime de Assad.

O regime sírio declarou no início do ano como prioridade a reconquista da Ghouta Oriental, uma zona de onde os rebeldes disparavam morteiros e ‘rockets’ sobre Damasco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.