Segundo o Expresso, "a maioria dos pensionistas poderá contar em janeiro com um reforço das prestações algures entre os 6% e os 6,5%. A subida será menos pronunciada do que a deste ano mas, ainda assim, uma das maiores de sempre".

Em abril, o primeiro-ministro anunciou que os pensionistas iriam ter, a partir de julho deste ano, um aumento de 3,57% nas suas pensões.

Nessa altura, interrogado sobre a evolução futura das pensões em Portugal, o líder do executivo procurou deixar uma certeza: “Em 2024, não há dúvidas nenhumas, todos terão um aumento que corresponderá à pensão a que têm direito de acordo com a aplicação estrita da Lei de Bases da Segurança Social”, declarou.

Perante os jornalistas, António Costa voltou a sustentar a tese de que o Governo “cada passo que dá, dá com segurança”.

“O nosso compromisso é o de que nunca há cortes e todos os anos há aumento das pensões. Mesmo no ano em que havia dúvidas se a sustentabilidade da Segurança Social permitia a aplicação da fórmula prevista na lei [para a atualização das pensões], o Governo encontrou uma fórmula diversa de assegurar que ninguém perdia rendimento este ano”, disse, numa alusão ao conjunto de medidas que o seu executivo anunciara em setembro de 2022 relativamente à política de pensões.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.