Mario Draghi, que termina o mandato de presidente do BCE em 31 de outubro, foi o convidado do primeiro Conselho de Estado reunido por Marcelo Rebelo de Sousa após a sua tomada de posse como chefe de Estado, realizado em abril de 2016.

A fonte de Belém não precisou, contudo, qual a condecoração que será atribuída a Draghi, que se encontra em Portugal a participar no Fórum do BCE, em Sintra, o último do seu mandato à frente do instituição sediada em Frankfurt.

A sexta edição do Fórum do BCE tem como tema os “20 anos da União Económica e Monetária Europeia” e aborda também o futuro da zona euro.

O mandato de Draghi termina em 31 de outubro e os nomes mais referidos para suceder a Draghi incluem o governador do Banco de França, François Villeroy de Galhau, o membro da Comissão Executiva do BCE, Benoît Coeuré, o governador do Banco da Finlândia, Olli Rehn, e o seu antecessor Erkki Liikanen, e o presidente do Bundesbank (o banco central alemão), Jens Weidmann.

O processo de sucessão está a ser alvo de um forte escrutínio devido ao papel dominante de Draghi na recuperação económica da Europa desde que assumiu o cargo há quase oito anos.

Recorde-se que em 2012, Draghi afirmou que faria “o que fosse preciso” para salvar o euro, uma promessa que ajudou a superar a crise de dívida da zona euro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.