"Passamos a vida a dizer que o futuro deste país são os jovens, mas isso tem que se traduzir nos vários aspetos da vida portuguesa", como em "proporcionar aos jovens portugueses condições para serem o futuro", disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, no concelho de Castro Verde, no distrito de Beja, no Alentejo.

O chefe do Estado falava após ter visitado a Casa de Acolhimento Residencial Especializada - GPS (Gerar, Percorrer e Socializar), que acolhe 24 adolescentes dos 12 aos 18 anos de famílias desfavorecidas, e a comunidade terapêutica da Quinta Horta da Nora, da ART - Associação de Respostas Terapêuticas, que acolhe 51 adolescente dos 15 aos 18 anos com problemas de dependências de substancias ilícitas e/ou comportamentos de inadaptação social.

"Não há dois jovens iguais, os que são os problemas de uns não são os problemas de outros" e naquelas duas respostas sociais "temos como lidar com situações diferentes abrindo caminhos para que o futuro" daqueles adolescentes "seja melhor", porque "eles são o futuro", frisou.

Lembrando que há poucos dias visitou escolas, o Presidente da República disse que não quer "só percorrer os caminhos mais óbvios, mais evidentes de motivação dos mais jovens para o futuro", mas também "outros caminhos" como os permitidos por aquelas duas respostas sociais situadas "no meio do Alentejo" e "onde há experiências diferentes".

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que "cada pessoa é diferente das outras", mas todas "têm direito ao mesmo futuro" e os adolescentes que estão naquelas duas respostas sociais "estão a construir o seu futuro à sua maneira" e "também precisam de um empurrão para isso", defendeu.

"É preciso persistirem, darem a volta e depois perceberem que valeu a pena", defendeu, referindo que, através da visita de hoje, quis passar uma mensagem "muito simples" de apoio ao voluntariado e de é preciso "fazer novo e diferente".

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, é "fundamental haver um certo grau de profissionalismo", mas naquelas duas respostas sociais há "uma dedicação enorme de pessoas de várias idades, que acompanham, apoiam, organizam, estruturam" as instituições.

Por outro lado, frisou, é preciso "a preocupação de fazer novo e diferente", como se faz na Quinta Horta da Nora, que é "um caso único no país", onde "um grupo [de adolescentes] da mesma idade forma uma comunidade terapêutica" e, "normalmente", misturam-se idades de mais velhos e mais novos".

Marcelo Rebelo de Sousa disse que também quis passar aos adolescentes "uma mensagem de certeza", que "começa por ser de esperança, mas à medida que eles vão ganhando terreno e vão fazendo caminho converte-se numa certeza".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.