“Um dos problema das nossa democracia é a situação económica e financeira má, e a morte de um a um, de órgãos, primeiro de imprensa local, depois regional e depois nacional. Isso é sinal de democracia doente”,afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em Esposende, distrito de Braga, à margem de uma visita a uma empresa de laticínios.

O chefe de Estado cumpre hoje o primeiro de uma visita de três dias ao Minho, Braga e Viana no Castelo. Hoje de manhã esteve no Regimento de Cavalaria nº6, em Braga, e ao início da tarde na Loja Social de Esposende.

Ao final da tarde, Marcelo Rebelo de Sousa vai visitar uma rádio local em Caminha.

Questionado sobre o porquê da visita a um órgão de comunicação social local, o presidente da República explicou que aquele tipo de órgão é um garante de “proximidade” e de democracia.

“A proximidade passa muito pela sobrevivência da imprensa e das rádios locais. Já tiveram períodos muito bons, agora atravessa uma profundíssima crise”, referiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.