“Sobre matérias de eutanásia ou relacionadas com a eutanásia, entendo que o Presidente da República não deve tomar nenhuma posição, até que seja, se for solicitada a sua intervenção”, disse Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas no fim de uma cerimónia na Câmara do Porto, questionado sobre a eventualidade de se realizar um referendo sobre a eutanásia.

O chefe de Estado disse preferir não se pronunciar “sobre um referendo” ou sobre “o eventual conteúdo de legislação” sobre o tema, para não condicionar minimamente um debate que está em curso, que vai continuar ao longo de 2018”.

“Entendo que não o Presidente não se deve pronunciar nem sobre um referendo nem sobre o eventual conteúdo de legislação que venha a ser elaborada, para não condicionar minimamente um debate que está em curso, que vai continuar ao longo de 2018 e que não deve ser influenciado pela posição presidencial”, afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado pelos jornalistas sobre a posição de Luís Montenegro, ex-líder parlamentar do PSD, que, numa entrevista à Rádio Renascença, defendeu hoje um referendo sobre a eutanásia, numa altura em que o Parlamento se prepara para discutir e votar o tema.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.