Numa circular informativa, a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) adianta que “os medicamentos contendo propranolol (Inderal, comprimido revestido, 10 e 40 mg) encontram-se em rutura de ‘stock'”, prevendo-se que esta rutura se mantenha até ao início do ano de 2023.

Face a esta situação, o Infarmed recomenda aos médicos que, sempre que possível, sejam prescritas alternativas terapêuticas a este medicamento, que é “um anti-hipertensor pertencente à classe dos bloqueadores beta não seletivos cardíacos”.

Diz ainda que está a analisar a possibilidade de utilização de medicamentos rotulados em língua estrangeira.

“Para garantir o acesso do medicamento aos doentes que não disponham de alternativas, e enquanto não for possível a utilização dos medicamentos em língua estrangeira, os hospitais e farmácias poderão adquirir este medicamento através do mecanismo de autorização de utilização excecional”, salienta o Infarmed.

Refere ainda que a empresa responsável pela comercialização deste medicamento – Atnahs Pharma Netherlands B.V. — está a desenvolver esforços no sentido de antecipar a data de reposição do medicamento utilizado para o controle de hipertensão, no tratamento e prevenção do enfarte do miocárdio, da angina, arritmias cardíacas, enxaqueca.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.