Questionado pela agência Lusa sobre essa promoção por parte do membro do Governo cabo-verdiano, Manuel Faustino disse que não concorda e que isso é um “paradoxo”, já que a nova lei é uma iniciativa do Governo.

“Naturalmente, nós não estamos de acordo com isso. Independentemente de ser parceiro da campanha, a lei, que vai entrar em vigor a 05 de outubro e que vai proibir todo o tipo de publicidade, é uma iniciativa do Governo”, afirmou o responsável.

Neste sentido, o também chefe da Casa Civil da Presidência da República disse que vai continuar a chamar a atenção sobre isso, caso for questionado.

“Se formos solicitados vamos dizer isso, que não estamos de acordo, não vamos tomar iniciativa de dizer ‘isso não é correto’, mas se isso me for colocado vou dizer ‘não concordo’, que não é positivo, é contraditório” ,sustentou Manuel Faustino.

“A questão ultrapassa o Governo, é um problema muito sério de saúde pública, que diz respeito às pessoas, e, ou as pessoas assumem as suas responsabilidades ou não, e quem não assume, a gente tem que dizer isso”, acrescentou Faustino à Lusa.

A referência, acompanhada de fotos de garrafas da bebida e dos donos da empresa, foi feita pelo também vice-primeiro-ministro cabo-verdiano em 23 de agosto, após visitar a unidade de produção.

Segundo Olavo Correia, a fábrica tem uma “potencialidade enorme” e “tudo para ser uma grande marca e um selo de qualidade de produtos made in Cabo Verde no mundo”.

Na página, onde publicita praticamente todas as atividades do seu Ministério, o governante disse que o Governo quer “ajudar a valorizar e engrandecer grandes marcas” e garantiu que referida marca de bebidas alcoólicas “contará com todo o apoio” do Executivo.

A promoção foi feita numa altura em que a Presidência da República de Cabo Verde tem em marcha uma campanha denominada “Menos Álcool, Mais Vida”, de prevenção do consumo abusivo do álcool e do alcoolismo.

O Governo de Cabo Verde é parceiro da campanha, através dos Ministérios da Saúde e da Segurança Social, da Educação e da Família Inclusão Social.

A 05 de outubro vai entrar em vigor uma nova lei que regula a venda, a publicidade e o consumo de bebidas alcoólicas no país, que em janeiro foi aprovada por unanimidade no parlamento do país.

Manuel Faustino disse ainda que a Câmara Municipal da Praia deveria ter “outra posição”, já que, tal como outras, a publicidade da mesma bebida alcoólica está espalhada em ?outdoors’ pelas ruas da capital cabo-verdiana.

Em julho, a coordenação da campanha “Menos Álcool, Mais Vida” proclamou o próximo ano como de mobilização nacional de prevenção do alcoolismo e lançou o desafio de instituir o 01 de julho como dia nacional de prevenção desse que é um dos maiores flagelos sociais do país.

Um diagnóstico apresentado em setembro do ano passado apontou que o consumo de álcool e drogas estão entre os principais problemas de saúde dos adolescentes cabo-verdianos.

Entre 2002 e 2015, as famílias cabo-verdianas mais do que duplicaram as despesas com bebidas alcoólicas, que representavam 4% do orçamento familiar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.