Bayroot Pakbara estava em tratamento, mas o seu estado piorou após a infeção se espalhar para o sangue.

Pakbara tornou-se no segundo mergulhador a perder a vida na operação de alto risco que permitiu retirar com vida os jovens e o treinador do interior do complexo de grutas no norte do país, onde ficaram presos por duas semanas no verão do ano passado.

O tenente-comandante Saman Gunan morrera ao reabastecer tanques de oxigénio em 6 de julho de 2019.

De acordo com o diário Bangkok Post, Pakbara foi enterrado sexta-feira na mesquita Talosai, no sul da província de Satun.

Doze rapazes, que então tinham entre 11 e 16 anos, e o seu tutor, de 26 anos, entraram na gruta, na província de Chiang Rai, em 23 de junho de 2018, depois de um treino de futebol, e foram localizados nove dias mais tarde a quatro quilómetros da entrada.

O grupo foi encontrado pelos mergulhadores britânicos a 2 de julho numa gruta escura, onde sobreviveram sem alimentos e bebendo a água infiltrada das paredes.

Todos foram resgatados através de galerias parcialmente inundadas da gruta, após uma complicada operação de salvamento internacional, que terminou em 10 de julho. Cada rapaz levou em média três horas para sair da gruta, com o auxílio da equipa de resgate.

Foram escritos pelo menos dois livros sobre o resgate da equipa de futebol e do seu treinador e a história será retratada numa produção da Netflix.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.