“Nós temos projetos de cooperação com Angola, Moçambique, São Tomé Príncipe, Cabo Verde, e, naturalmente, dentro da capacidade que o país tem, faremos tudo para não apenas lhes dar, mas também para receber deles”, frisou o governante.

O ministro da Saúde, que falava aos jornalistas no final da sessão de abertura do encontro regional da Cimeira Mundial de Saúde, que decorre hoje e sexta-feira em Coimbra, acrescentou que a “experiência desses países [africanos] é muito enriquecedora do ponto de vista da saúde pública e das políticas de desenvolvimento local”.

Adalberto Campos Fernandes salientou que a “obrigação daqueles que têm mais”, e que estão como Portugal “no pelotão da frente”, é contribuir.

“E temo-lo feito com África, a trabalhar em conjunto, porque a segurança e o bem-estar desses países e dessas comunidades é também a segurança do mundo, que corre a várias velocidades”, observou.

Adalberto Campos Fernandes referiu que esta cimeira é “muito importante”, até pela relação particular de Portugal com os países de expressão oficial portuguesa, e, nesse sentido, “Portugal está feliz e Coimbra está reconhecida por ver o seu trabalho com sucesso”.

Coimbra recebe na hoje e sexta-feira, no Convento São Francisco, o encontro regional anual da Cimeira Mundial da Saúde, com cerca de 700 peritos mundiais e que vai ter como tema principal a saúde global dos países africanos.

O encontro é organizado pelo consórcio Universidade de Coimbra (UC)/Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), que integra a Aliança-M8 [G-8 da saúde].

Nestes dois dias, a cimeira vai acolher mais de 20 sessões de trabalho e quatro sessões plenárias relacionadas com a gestão de doenças infecciosas e a governação para a equidade na saúde nos países de baixo e médio rendimento, as oportunidades e desafios na transição da inovação para os cuidados de saúde e a educação biomédica num mundo em mudança, em que participam 120 oradores de mais de 40 países.

A cimeira vai contar com a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na sexta-feira, na sessão de encerramento.

Portugal está representado desde outubro de 2015 na Aliança M8, considerada o G-8 da saúde, pelo consórcio CHUC e Universidade de Coimbra, sendo uma das cinco academias da União Europeia com presença neste organismo.

A Aliança M8 tem como missão principal a melhoria da saúde a nível global. Promove a investigação translacional, bem como a inovação na abordagem da prestação de cuidados, almejando o desenvolvimento de sistemas de saúde eficazes na prevenção da doença.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.