Ao amanhecer, o navio “Dignity 1″, fretado pelos Médicos sem Fronteiras, abordou um barco pneumático, com muitos passageiros já na água, segundo um porta-voz da entidade, e foram salvas 120 pessoas.

Nove corpos foram encontrados sem vida, mas a causa da morte ainda não foi confirmada: afogamento, queimaduras, asfixia, desidratação, podem ser várias as causas.

As autoridades apontam que as condições sórdidas a bordo destas embarcações que transportam refugiados podem tornar-se mortais em poucas horas.

Os corpos foram transferidos para o navio norueguês Siem Pilot, que está ligado ao dispositivo europeu de salvação Frontex, e que levava já mais cinco mortos de outros migrantes encontrados na sexta-feira.

As saídas de migrantes a partir da Líbia, devido aos conflitos no país, ocorrem, por vezes, em vagas sucessivas, com uma concentração das operações quando o mar está calmo.

Em 30 de agosto, a guarda costeira tinha coordenado o socorro a cerca de 6.500 migrantes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.