Este é já o segundo adiamento aprovado, por unanimidade, pelos deputados em menos de um mês, também devido às dificuldades de funcionamento causadas pela crise epidémica.

À Lusa, na terça-feira, o presidente da comissão de inquérito, Fernando Negrão (PSD), disse que este tempo permitirá receber toda a documentação solicitada.

“As dificuldades que já existiam acentuaram-se com o agravamento da pandemia. Nesse sentido, ficou decidido por todos os partidos, por unanimidade, no sentido de se voltar a suspender os trabalhos por mais 15 dias", disse, depois da reunião de mesa e coordenadores da comissão, no parlamento.

De acordo com Fernando Negrão, esta nova suspensão permitirá à Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, como é oficialmente designada, disse ainda que já foi recebida entre 60% a 70% da documentação pedida.

“Falta-nos documentação importante do Banco Central Europeu e da Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia. Falta-nos também, inclusive, documentação da Deloitte, mas tudo dentro dos prazos, porque foram pedidas prorrogações”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.