“Impuseram-se no PSOE os apoiantes em dar o governo ao PP. Face ao governo da corrupção, nós continuaremos com [as pessoas] e pelas pessoas”, afirmou Iglesias após a demissão de Sánchez, citado pela EFE.

Pedro Sánchez apresentou hoje a sua demissão de secretário-geral do PSOE depois da sua proposta para realizar um congresso extraordinário do partido em novembro ter sido recusada por uma maioria de membros do comité federal reunido em Madrid.

A demissão tem lugar depois de uma reunião de mais de 11 horas, muito tensa, que começou às 09:00 (08:00 de Lisboa).

Também a porta-voz adjunta do Podemos no Congresso, Irene Montero, considerou que ganhou “a velha guarda e os barões socialistas, assim como o PP”.

“Ganham a velha guarda e os barões, ganha o PP, ganham aqueles que querem mandar sem concorrer a eleições. Má notícia para Espanha”, comentou Montero.

Os socialistas espanhóis reuniram-se hoje para apreciar a proposta de Pedro Sánchez de eleger um novo secretário-geral este mês e fazer um congresso extraordinário em novembro.

A proposta enfrentou a oposição do setor crítico que, acabou por se constatar, ser maioritário, que também queria a convocação de um congresso, mas ordinário, apenas para depois da formação de um novo Governo em Espanha.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.