“Tenho o prazer de anunciar que nos dias 25 e 26 de maio do próximo ano celebraremos em Roma a primeira Jornada Mundial das Crianças”, anunciou Francisco da janela do Palácio Apostólico às centenas de fiéis que se encontravam na Praça de São Pedro.

A iniciativa será patrocinada pelo Dicastério para a Cultura e Educação e pretende refletir sobre “que tipo de mundo [se quer] deixar às crianças”.

“Como Jesus, queremos pôr as crianças no centro e cuidar delas”, afirmou.

A ideia desta jornada, que será realizada nos mesmos moldes da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), foi proposta ao Papa em julho por um menino de 9 anos, Alessandro, no âmbito de um ‘podcast’ produzido pelos meios de comunicação do Vaticano, tendo em vista as JMJ em Lisboa.

Depois de dois domingos em que, devido a uma bronquite e inflamação pulmonar, confiou a leitura dos seus discursos a um colaborador, a partir da sua residência, a Casa Santa Marta, Francisco voltou hoje à varanda do Palácio Apostólico.

Na quinta-feira, o Papa proferiu sem assistência os discursos que tinha planeado para diferentes audiências, num regresso à normalidade.

Por ocasião da Imaculada Conceição, que hoje se assinala, Francisco fará a primeira deslocação fora do Vaticano, desde a bronquite, até à Escadaria de Espanha para prestar homenagem à estátua da Virgem Maria.

Antes disso, passará pela Basílica de Santa Maria Maggiore para condecorar o ícone “Salus Populi Romani” com a “Rosa de Ouro”, condecoração que os Papas atribuem desde a Idade Média.

Aos fiéis de Roma, Francisco pediu da tradicional janela para se unirem espiritualmente nestes gestos e rezarem “em particular pela paz na Ucrânia, Palestina e Israel”, bem como “em todas as terras feridas pelas guerras”.

“Rezamos pela paz, pela paz nos corações, pela paz”, disse.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.