Segundo aquela câmara do distrito do Porto, o trabalho tem sido realizado no âmbito de um protocolo celebrado entre o município e a Associação Nativa - Natureza, Invasoras e Valorização Ambiental, garantindo uma atuação "com eficiência na resolução do problema em todo o concelho".

O trabalho incluiu a colocação de cerca de uma centena de armadilhas para captura daquele inseto invasor, o que permitiu "atuar de forma precoce na deteção e erradicação".

Num comunicado, o município sublinha que as operações têm sido realizadas "por técnicos capacitados e devidamente equipados, assegurando "a proteção e segurança das populações".

As ações têm sido realizadas em todo o concelho, após as indicações dos munícipes quanto à existência de ninhos.

A georreferenciação tem permitido às equipas que estão no terreno "uma localização mais exata dos vespeiros, facilitando a sua atuação, assinala o município.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.