"Trata-se de um resultado pelo qual todos devemos cumprimentar o Governo do país que assegurou, na condução da política financeira do Estado, as condições que nos qualificam para esta recomendação da Comissão Europeia", afirmou Passos Coelho, em conferência de imprensa na sede nacional do partido, em Lisboa.

O líder do PSD salientou que, "apesar de não subscrever a forma como o Governo lidou com a estratégia orçamental e de discordar dos riscos acrescidos" que trouxe ao país, garantiu que fica "satisfeito por Portugal ter conseguido atingir a meta orçamental a que o país se tinha comprometido".

"São, no entanto, os portugueses quem estão de parabéns neste dia e são, sobretudo, os portugueses quem hoje quero felicitar", disse, salientando que o país entrou em défice excessivo em 2009, quando o país era governado pelo primeiro-ministro socialista José Sócrates.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.