Em Valpaços, a PJ, através da Unidade Local de Investigação Criminal de Vila Real, deteve uma mulher de 43 anos suspeita de ter ateado um incêndio a 02 de julho numa área florestal.

Segundo explicou a Judiciária, em comunicado, este fogo “consumiu uma área florestal constituída maioritariamente por cedros”.

Já em Vila Real, a PJ deteve um pastor de 53 anos por estar “fortemente indiciado” pela prática do crime de incêndio florestal, na serra do Alvão.

Este fogo, que deflagrou em pleno inverno, a 17 de janeiro, queimou cerca de 250 hectares de mato e pinheiro bravo de regeneração natural e colocou em perigo as habitações da aldeia de Cravelas

Nesta detenção, a PJ contou com a colaboração do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA), da GNR de Vila Real.

Os dois suspeitos vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coação.

A Polícia Judiciária informou que, este ano, já identificou e deteve 65 pessoas pela autoria do crime de incêndio florestal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.