As buscas acontecem nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, no Rio de Janeiro, Distrito Federal, Amapá, Rio Grande do Norte e Baía, e foram solicitadas pela Procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Segundo informações divulgadas num comunicado do Ministério Público Federal (MPF) brasileiro, não há pedidos de prisões e nem medidas a serem cumpridas na sede do Congresso Nacional.

A operação foi planeada para investigar informações prestadas em colaboração premiada (confissão de crimes em troca da redução da pena) de diretores da fabricante de carnes J&F para apurar a solicitação de vantagens indevidas por parte do senador Aécio Neves e outros políticos, que terá ocorrido em pelo menos quatro ocasiões.

“Ao todo, o Grupo Económico [J&F] teria repassado cerca de 130 milhões de reais [29,3 milhões de euros] que foram distribuídos a parlamentares” de pelo menos três partidos, lê-se no comunicado do MPF.

“Em troca dos recursos financeiros, o senador teria prometido favorecimentos num eventual Governo presidencial (2015 a 2018) além de influência junto do governo estadual de Minas Gerais, neste caso, com o objetivo de viabilizar a restituição de créditos tributários”, acrescentou o órgão de Justiça brasileiro.

Os investigados nesta operação são suspeitos da prática dos crimes de corrupção passiva, organização criminosa, branqueamento de capitais e associação criminosa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.