A Polícia Judiciária esteve esta quarta-feira nas instalações da câmara municipal de Braga, tendo feito "diversas diligências, recolhendo elementos relativos a processos urbanísticos", disse hoje a autarquia presidida por Ricardo Rio (PSD) em comunicado.

No documento enviado ao SAPO24, o município diz que "como sempre tem acontecido em processos semelhantes", esteve em "plena colaboração" com a polícia, disponibilizando-se para "prestar todo o apoio necessário ao bom desenvolvimento do trabalho das instâncias de investigação".

"Não sendo do conhecimento deste Município a natureza da investigação em curso, resta-nos reiterar a disponibilidade para contribuir para o cabal esclarecimento de toda e qualquer questão que possa surgir, em defesa do bom nome da instituição e dos seus colaboradores", acrescenta.

Fonte da PJ explicou à Lusa que as buscas “não visam o atual nem o anterior executivo camarário”, acrescentando que a diligência se insere numa investigação em curso a cargo da PJ de Braga e que serviu para “recolha de documentação” relativa a “questões de urbanismo”.

Também contactada pela Lusa, fonte oficial da CMB referiu que as buscas “se cingiram ao gabinete do atual diretor municipal do Urbanismo, António Zamith Rosas, um quadro técnico do município”.

António Zamith Rosas é o atual diretor municipal de Urbanismo, Ordenamento e Planeamento da Câmara de Braga e, no passado, foi vereador na Câmara Municipal de Vila Verde, concelho do distrito bracarense.

*Com Lusa

(Artigo atualizado às 16:12)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.